Total de visualizações de página

quarta-feira, 29 de outubro de 2008

Aniversário de uma conquista - Estadual de 1944 (37)


Escrete rubro-negro, antes da decisão
Flamengo 1x0 Vasco - Final do Campeonato Carioca de 1944

História

Um resultado que os vascaínos contestam até hoje. A Final do Campeonato Carioca de 1944 foi inesquecível tanto para rubro-negros como para vascaínos. O gol de Valido, irregular ou não, deu o caneco ao Flamengo, que conquistava mais uma vez o Rio de Janeiro. Era a terceira vez seguida. Era o primeiro tricampeonato estadual do time da Gávea.

Em uma campanha que começou ruim, é verdade. O Fla somente reagiu após ser derrotado pelo América na estréia. Chegou à final contra o rival Vasco, e com a ajuda de mais de 20 mil torcedores que lotaram a Gávea na decisão, conquistou o título, questionado até hoje pelos vascaínos, que afirmam que Valido apoiou-se no zagueiro vascaíno na hora da cabeçada que deu a vitória ao Mengo por 1x0.

Os portões da Gávea foram fechados duas horas antes do inicio da partida, tamanha era a lotação do estádio. E a extrema maioria rubro-negra, calou os poucos vascaínos, e pode, enfim, comemorar seu primeiro tricampeonato no futebol.

O Jogo

De um lado, o Flamengo com a maior torcida. Do outro lado, o Vasco da Gama que tinha o melhor time do campeonato, e com alguns jovens valores que despontavam como craques. O Flamengo com um time que tinha sido estruturado em 1939 e tinha a experiência que faltava ao Vasco. O técnico Flávio Costa, que sempre concentrava seu time no interior de São Paulo, preferiu deixar os jogadores no Rio, livres de concentração. Ondino Vieira, treinador do Vasco, levou seus atletas para Uruçanga, uma localidade perto do Rio de Janeiro.

O clima de decisão tomava conta da Cidade Maravilhosa. Reza a lenda, que, durante a partida, os remadores rubro-negros, que se juntaram à torcida pelo time de futebol, ameaçavam bater com seus remos nos torcedores do Vasco, caso eles se manifestassem. A torcida já era inflamada. Vai na Bola, um torcedor símbolo, corria pelo campo com dois pratos de metal nas mãos, batendo sem parar. Jaime de Carvalho, chefe da Charanga Rubro-Negra, começou a comandar seus músicos, empurrando o time para mais uma vitória.

O Vasco começou melhor. Atacou mais. Jurandir fez grandes defesas. Mas, empurrado pela massa rubro-negra, o Flamengo, mesmo com Valido passando mal com 39 graus de febre, e Pirilo mal podendo caminhar, conseguiu equilibrar a partida e terminar o primeiro tempo em zero a zero, graças a uma partida memorável do craque Zizinho.

Faltando quatro minutos para o final da partida, Vevê cobra uma falta na esquerda. Valido cabeceia e Barqueta manda para escanteio. Vevê vai cobrar. Ele manda a bola na área vascaina, Valido, de novo, sobe por cima de Argemiro e cabeceia para a meta. Barqueta não consegue defende e a bola entra. É gol do Flamengo. A torcida invade o campo. Valido é abraçado, beijado, e parece esquecer de sua febre. Do outro lado, Argemiro e alguns jogadores do Vasco correm para o juiz afirmando que Valido subiu nas costas do zagueiro vascaino para cabecear o marcar o gol do titulo. Guilherme Gomes não ve nada de anormal na jogada, e sua preocupação é limpar o campo e dar prosseguimento à partida.

Quando o jogo recomeçou, o Vasco tinha três minutos para empatar a partida. O time de São Januário foi todo para o ataque. Mas time algum tiraria o titulo do Flamengo naquela tarde. A torcida, atrás do gol de Jurandir, estava pronta para entrar em campo e desarmar qualquer atacante vascaino.

E quando o juiz apitou o final do jogo, a Gávea ficou pequena para conter a alegria de tanta gente. Flávio Costa dizia “Se o Flamengo não costuma esquecer seus campeões, para os de hoje, deve reservar uma gratidão especial”. No dia seguinte, veio a confirmação: o gol de Valido tinha sido mesmo ilegal, para desespero vascaíno. Ele havia trepado nas costa de Argemiro para cabecear. Os jornalistas se dividiam. Uns levaram a reclamação a sério. Outros passaram a gozar os vascainos. O tempo se encarregou de matar a questão. Para os flamenguistas, vencer o Vasco com um gol legal é bom, mas ganhar com um gol irregular é muito melhor. E, em finais, é algo incomparável.

Ficha Técnica

VASCO 0 x 1 FLAMENGO
Final do Campeonato Carioca 1944


Local: Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
Data: 29 de outubro de 1944
Gol: Valido, aos 41'/2ºT


FLAMENGO: Jurandir, Quirino, Newton, Valido, Jaime, Bria, Pirilo, Zizinho, Tião, Biguá e Vévé.


VASCO: Barqueta. Rubens e Rafanelli. Berachochéia. Alfredo e Argemiro. Djalma. Lélé. Isaias. Ademir e Chico.

Fonte: http://www.flamengo.com.br/flapedia/Imagem:TimeFlamengo1944a.jpg

Nenhum comentário: