Total de visualizações de página

domingo, 19 de dezembro de 2010

Flamengo de pai para filho

Aquele seria o segundo campeonato estadual de Júnior depois de sua volta da Itália. Mais uma chance de dar ao seu filho Rodrigo a alegria de ver o pai ser campeão pelo Flamengo. Júnior chegou a anunciar o fim da carreira no ano anterior, mas dois motivos o fizeram voltar atrás: o desejo de ser campeão mais uma vez e a disputa de outra Libertadores.O Flamengo até fez boa campanha no torneio sul-americano, mas foi vitimado por uma arbitragem criminosa contra o Boca Juniors. Mas todos os rubro-negros sabiam que aquele time que ia do goleiro Gilmar ao falso ponteiro Zinho merecia mais do que um lamento por ter sido lesado na Bombonera lotada. Merecia uma taça de campeão.

A estréia no estadual teve por palco um Maracanã às moscas, mas foi digna de uma multidão. A vitória por 5x3 contra o América, com direito a golaço de falta e atuação de gala de Júnior, foi mesmo um início de campeão. Apesar de ter perdido o Fla-Flu do dia 1 de setembro, o Flamengo conseguiu 4 vitórias consecutivas que o botaram na briga pela Taça Guanabara, incluindo a virada sobre o Vasco no dia 15 do mesmo mês, com gols de Gaúcho e Nélio. Porém, na penúltima rodada, um tropeço no Ítalo Del Cima tornou tudo mais difícil. O empate em 1x1 contra o Campo Grande deixou o Fluminense em vantagem, e apesar de o Flamengo vencer ao Botafogo na última rodada, o 0x0 entre tricolores e americanos bastou para que a festa fosse em Álvaro Chaves.

A campanha na Taça Rio foi quase perfeita. Apenas dois empates – contra Americano e Fluminense – e oito vitórias levaram ao Flamengo a decidir a Taça Rio contra o Botafogo, na última rodada. Com gols de Gaúcho e Zinho os rubro-negros abriram boa vantagem, mas cederam o empate no final. A Taça Rio precisaria de um jogo extra para ter um campeão, mas aquele 2x2 já classificava o time da Gávea para as fase final pelo maior número de pontos durante todo o campeonato. A questão derradeira é se seria uma final direta contra o Flu, com a vantagem do empate cabendo ao Fla, um triangular com a presença do Botafogo.
A finalíssima da Taça Rio foi no dia 11 de dezembro. Toda a mídia destacava o Botafogo em busca do tricampeonato estadual, mas um chute de primeira de Gaúcho acabou coma ilusão alvinegra. Flamengo 1x0, campeão da Taça Rio, rumo à série de Fla-Flus decisivos.

A vantagem era rubro-negra. Cada jogo valia dois pontos, o time que chegasse a quatro seria o campeão e o Flamengo largou com um de vantagem por ter a melhor campanha. No primeiro jogo, dia 15 de dezembro, Ézio abriu o placar para o Fluminense, de pênalti. Paulo Nunes empatou de cabeça e ninguém mexeu mais no marcador.

Os times entraram em campo debaixo de muita chuva na noite de 19 de dezembro. Pouco mais de 50 mil pagantes enfrentaram o trânsito caótico daquela quinta-feira. Muitos ficaram em casa apostando em um terceiro jogo que jamais aconteceria. De novo o Fluminense saiu na frente, de novo com Ézio, placar da primeira etapa. Na volta do intervalo, como se cantasse e pulasse para espantar o frio, a torcida do Flamengo entrou em transe. E, junto com ela, o time parecia encantado. Uidemar empatou, Gaúcho virou e Zinho acertou um petardo para fazer 3x1. Ézio descontou, mas Bobô e Pires foram expulsos por jogadas violentas e o Flu não tinha mais como empatar. Mas aqueles rubro-negros que enfrentavam a chuva mereciam um grand finale.

Já no final do jogo Júnior, o melhor jogador do campeonato, investiu pela meia-esquerda. Tocou para Zinho que esperou a saída do goleiro tricolor e devolveu para Júnior. O maestro chutou colocado e deu início a um carnaval a menos de uma semana do Natal. Na comemoração depois do jogo, Júnior abraçou o filho Rodrigo e saiu pulando com o jovem rubro-negro nos braços. De pai para filho, de Júnior para a Nação: Flamengo mais uma vez campeão.

* * *
O herói: Júnior, tantas vezes campeão como fiel escudeiro de Zico, dessa vez foi o protagonista da conquista de um time de garotos que o tinha por ídolo e conselheiro.

O destaque: Gaúcho e seus incríveis gols de cabeça. De seus 17 gols naquele campeonato, a maioria foi marcada de cabeça, incluindo o golaço na final, de peixinho no meio da zaga tricolor.

O artilheiro do time: Gaúcho, com 17 gols.

A revelação: Nélio. Formado nas divisões de base e apelidado de Marreco pelo andar desengonçado, o meia-atacante acabou o campeonato como camisa dez e teve grande atuação no jogo decisivo.

A curiosidade: Júnior foi inquestionavelmente o melhor jogador do campeonato estadual, prenúncio do grande campeonato brasileiro que faria no ano seguinte. Além dos diversos passes certeiros para as cabeçadas de Gaúcho, Júnior marcou dois gols na campanha vitoriosa. Curiosamente o primeiro e o último do Flamengo naquele campeonato.

O gol: O Flamengo já havia empatado o jogo com uma cabeçada de Uidemar, e aquele resultado encaminharia a decisão para um terceiro Fla-Flu. Mas chamado pelo canto da torcida os rubro-negros encurralaram o tricolores e Piá, que já havia feito o cruzamento do gol de empate, levantou mais uma bola na área tricolor. O lance parecia dominado pela zaga, mas de repente surgiu Gaúcho, voando sob chuva, para cabecear no canto direito e enlouquecer o Maracanã.

A melhor partida: Flamengo 2x0 Vasco, 24/11/1991. Uma atuação perfeita, com um gol em cada tempo, marcou a arrancada para a conquista do título.

Colaboração: Mauricio Neves.

Fonte: http://www.mkt.flamengo.com.br/reidorio/

Campeonato Carioca 1991
Times 14
Período 14 de Agosto a 19 de Dezembro de 1991
Campeão Flamengo
Vice-campeão Fluminense
Artilheiro Gaúcho (Flamengo) - 17 gols
Total de jogos 135
Total de gols 318
Média de gols/jogo 2,36
Maior Público Flamengo 2x2 Botafogo: 110.768 pagantes

Introdução

A 87ª edição do Campeonato Carioca foi decidida em dois clássicos Fla-Flus, dos quais saiu vencedor o Flamengo. O time campeão, dirigido pelo técnico Carlinhos, era formado em sua maioria por jogadores da base, mas com a presença fundamental do craque Junior

Equipes Participantes

Municípios com participantes no Carioca de 1991
América
América (Três Rios-RJ)
Americano
Bangu
Botafogo
Campo Grande
Flamengo
Fluminense
Goytacaz
Itaperuna
Portuguesa
São Cristóvão
Vasco da Gama
Volta Redonda

Fórmula de Disputa
Campeonato em turno (Taça Guanabara) e returno (Taça Rio) em grupo único de 12 times. O título seria decidido entre os vencedores dos dois turnos em uma melhor de quatro pontos, com ponto extra para a melhor campanha.

Dois clubes que disputaram o 1º turno foram substituídos no 2º pelos clubes de melhor classificação na segunda divisão.

Vale lembrar que até 1996 no futebol a vitória valia 2 pontos e não 3.

Taça Guanabara
Classificação
Classificação
Time PG J V E D GP GC SG
1 Fluminense 18 11 8 2 1 19 5 +14
2 Flamengo 17 11 7 3 1 20 12 +8
3 Botafogo 16 11 6 4 1 20 6 +14
4 Vasco 15 11 6 3 2 14 8 +6
5 Campo Grande 12 11 3 6 2 13 13 0
6 Americano 10 11 2 6 3 9 11 -2
7 Bangu 9 11 1 7 3 6 9 -3
8 América-RJ 8 11 2 4 5 9 14 -5
9 Itaperuna 8 11 2 4 5 7 12 -5
10 América (Três Rios-RJ) 7 11 2 3 6 10 20 -10
11 Portuguesa-RJ 6 11 1 4 6 6 14 -8
12 Volta Redonda 6 11 1 4 6 10 19 -9

Taça Rio
Classificação
Classificação
Time PG J V E D GP GC SG
1 Flamengo 19 11 8 3 0 18 5 +13
2 Botafogo 19 11 8 3 0 31 15 +16
3 Vasco 16 11 7 2 2 29 9 +20
4 Fluminense 13 11 4 5 2 17 14 +3
5 Campo Grande 12 11 5 2 4 17 16 +1
6 América-RJ 12 11 4 4 3 14 11 +3
7 América (Três Rios-RJ) 9 11 2 5 4 5 10 -5
8 Americano 9 11 2 5 4 9 16 -7
9 Itaperuna 7 11 1 5 5 5 14 -9
10 Bangu 6 11 1 4 6 6 13 -7
11 São Cristovão 5 11 2 1 8 9 22 -13
12 Goytacaz 5 11 2 1 8 7 22 -15

Flamengo e Botafogo fizeram um jogo desempate vencido pelo Flamengo por 1 a 0

Final
Primeiro jogo

15 de dezembro, 1991

Flamengo 1–1 Fluminense Estádio do Maracanã
Público: 43.718
Árbitro: Daniel Pomeroy
Paulo Nunes 26 Ézio 23

Segundo jogo

19 de dezembro, 1991

Flamengo 4–2 Fluminense Estádio do Maracanã
Público: 49.975
Árbitro: Cláudio Vinícius Cerdeira
Uidemar 57,
Gaúcho 70,
Zinho 77,
Júnior 83 Ézio 37, 78

Campeão
Campeonato Carioca 1991

FLAMENGO
Campeão
23º título

Artilharia
Jogador Time Gols
Gaúcho Flamengo 17 gols
Bebeto Vasco 15 gols
Ézio Fluminense 13 gols
Chicão Botafogo 13 gols
Valdeir Botafogo 13 gols

Retirado de "http://www.flamengo.com.br/flapedia/Campeonato_Carioca_1991"

2 comentários:

Consultora Educacional disse...

Gosto muito dos artigos de ótima qualidade do seu Blog. Quando for possível dá uma passadinha para ver nosso Curso de Ingles. Daienne

Clube de Regatas Flamengo disse...

Obrigado Daienne.